MEUS ACHADOS NA BOOK FRIDAY

Falou em promoção de livro, falou comigo! A Amazon está aproveitando a bienal do livro e fazendo algumas promoções bem tentadoras no site. Resolvi ir colocando aqui no blog o que eu vou achando de mais bacana $$$.

As ofertas mudam todo dia, então vou atualizando conforme aparecer coisa boa.

(*Comprando nos links que eu disponibilizar, vocês ajudam o blog e canal! Obrigada ♥ )

*Todas as ofertas

Melhores de segunda (29/08):

*Antologia da literatura fantástica (J. Borges)

 

*MSP graphic:

-Papa-Capim

-Bidu

-Turma da Mônica: Laços

*Os próprios deuses (I. Asimov)

*O fim da infância (A.C. Clark)

*O ferreiro do bosque grande (J.R.R. Tolkien)

*Anna Karienina (L. Tolstói)

*Y: o último homem – vol.2 (B.K. Vaughan)

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

 

NEM LIMÃO TÁ TENDO

Aqui estou eu para mais um textão. Sabe aqueles momentos que você para, olha para tudo e tem vontade de ir embora? Pois é.

Essa semana parei tudo (que já estava andando bem devagar) e fiquei jogada. Tive uma inflamação de garganta porque engasguei e ferrei com tudo de tanto tossir (SIM!). Então o que eu fiz? Aproveitei para usar como desculpa, é claro. Comi que nem uma doida, não fui na academia e fiquei tendo ideias que depois me pareceram todas muito ruins.

O doutorado tem sido péssimo. Eu sabia que ia ser difícil, mas tem sido quase impossível. Não consegui bolsa para estudar porque os cortes de verbas estão absurdos e estou sem emprego desde o ano passado.

Nunca comentei isso ‘publicamente’, mas fui demitida ano passado do colégio em que trabalhava por ‘falta de verbas para manter alguns funcionários’. É claro que no primeiro corte a biblioteca fecha. É claro.

Ser demitida foi um processo muito difícil. Sabe aquela coisa de ‘quero arrumar algo melhor para sair daqui’, mas de repente saíram com você e não restou mais nada. Foi do dia para a noite e um processo muito sofrido. Eu não esperava por isso e fiquei em choque.

Depois achei que viria uma bolsa, não veio. Não veio nada e aí começa aquela coisa de ‘e agora?’. E é nessa que eu estou até hoje. Claro que eu me preparei, sempre tive reservas, pé no chão, guardei tudo que recebi pela demissão, mas de qualquer forma, a gente fica completamente no escuro. E aí vem o medo, a frustração, a decepção e por aí vai.

Fazer pós não é fácil. É uma luta diária para acertar a rotina, estudar por conta, dar conta de tudo e ainda ‘brigar’ com a universidade. Na Unesp não tenho apoio nenhum. A secretaria é inexistente e ignora 99% dos meus emails. Ligações? Não atendem. Se preciso de algo, ferrou. É uma luta para conseguir um comprovante de matrícula. Aí vem nervosismo, stress, perda de tempo, enfim…

Fazer pesquisa de humanas então, piorou. Não existe laboratório, é um trabalho solitário, sem muitas pessoas para trocar opiniões. É você e você, todos os dias, com um computador e uma lista bibliográfica.

O que eu mais ouço é: ‘ah, mas você não tem nada para fazer, pode acordar a hora que quiser’. De fato, posso sim. Mas meu trabalho está ali e eu tenho um prazo para entregar. Se eu não trabalhar essa semana, na semana que vem tenho o dobro. Para defender meu doutorado preciso da tese, de publicações em boas revistas, apresentações em eventos (com que dinheiro?) e por aí vai… Muita gente acha que é bom não ter chefe, horário, compromisso marcado, mas será que é bom mesmo? Todas as responsabilidades e as consequências de não fazer jogadas apenas nas suas mãos?

Mas eu posso acordar a hora que quiser.

Claro que eu podia ter outros milhões de problemas, sim. Mas não é choramingo de cocotinha, é a frustração de tentar fazer algo e não conseguir. Não conseguir porque não tem recursos, porque ninguém responde o email, porque o artigo parou, porque o trabalho não foi aceito e ninguém justificou, e por ai vai.

Se você pretende fazer mestrado/doutorado meu conselho é: ame muito e tenha tendências trouxas. O amor vai virar ódio, tristeza, frustração e aí só sendo trouxa para continuar.

Eu ainda amo minha pesquisa, é aquela única coisa que resta e por ela eu continuo (e porque eu já entrei). Olho para o que planejei, para meu tema e ainda tenho paixão, curiosidade e é isso que me motiva. Vamos ver até quando.

Mas como a vida tá toda ferrada e a gente precisa de cartas na manga, estou pensando em abrir uma ~lojinha. Será?

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

 

MINHAS ESCOLHAS NA PROGRAMAÇÃO DA FEIRA DO LIVRO 2016

Domingo agora, dia 12/06, além de dia dos namorados, começa em Ribeirão a 16º Feira Nacional do Livro. Eu já falei muito sobre a Feira aqui e esse ano senti um movimento de mudanças para melhor na programação.

Vejo muita gente reclamando da programação sem nem saber direito o que está rolando. Então para facilitar a vida dos preguicinhas eu fiz uma seleção de tudo que achei mais bacana esse ano e vou listar por aqui!

Vou começar falando obviamente DO MEU EVENTO, rsrs.

Esse ano vou ter a oportunidade de participar da Feira como palestrante. Eu e meu amigo Renan Rocha do canal ‘Se Livrando’, faremos dia 13/06 o lançamento de um Centro de Debates Literários da Fundação. Nesse primeiro encontro falaremos sobre literatura clássica x literatura contemporânea, e para o debate escolhemos ‘Crônicas de Nárnia’ e ‘Harry Potter’. Vai ser muito bacana! Espero todos por lá, dia 13/06, às 19:30 no Auditório Meira Júnior. Aqui o evento no facebook.

E ainda no 13/06, de manhã, terei a honra de mediar o Salão de Ideias com o autor Raphael Montes! Vamos bater um papo sobre suas publicações e tudo mais que couber! Espero vocês lá também: 13/06, às 8:30 no Theatro Pedro II. Aqui o evento no facebook.

Vamos então as minhas escolhas!

Todos os dias da Feira, às 14hrs, no Auditório Meira Júnior: Salão de Ideias com autores vencedores do Prêmio Jabuti.

11/06, às 19hrs: abertura da Feira.

11 e 12/06, das 10hrs às 17hrs: Oficina de lettering, no SESC (necessita inscrição).

11, 12 e 18/06, das 9:30hrs às 12:30hrs: Passeios por pontos memoráveis de Ribeirão, saída do SESC (necessita inscrição).

13/06, às 8:30hrs: Salão de Ideias com o autor Raphael Montes, no Theatro Pedro II

13/06, às 10:30hrs: Apresentação e debate do Plano do Livro, Leitura e Biblioteca de Ribeirão, no Auditório Meira Júnior.

13/06, às 16hrs: Salão de Ideias sobre bibliotecas, no Auditório Meira Júnior.

13/06, às 17hrs: Salão de Ideias com o autor Felipe Vianna, no Palace.

13/06, às 19:30hrs: Lançamento do Centro de Debates Literários da Fundação, no Auditório Meira Júnior.

13/06: Salão de ideias com Augusto Cury, Jayme Monjardim e Dan Stulbach, no Theatro Pedro II.

14/06, às 10:30hrs: Salão de Ideias com o autor Joca Reiners Terron, no Auditório Meira Júnior.

14/06, às 17hrs: Salão de Ideias com o autor Deonísio da Silva, no Palace.

15/06, às 8:30: Salão de Ideias com a autora Chris Melo, no Theatro Pedro II.

15/06, às 10:30hrs: Salão de Ideias com o autor André Sant’Anna, no Auditório Meira Júnior.

15/06, às 19hrs: Produção editorial para livros, com Leonardo Mathias, no SESC (necessita inscrição).

15/06, às 20hrs: Publicando o primeiro livro, com Fábio Itasiki, no SESC.

16/06, às 8:30hrs: Salão de Ideias com a autora Laura Conrado, no Theatro Pedro II.

16/06, às 20:30hrs: Salão de Ideias com Fernando Moraes, no Auditório Meira Júnior.

17/06, às 8:30hrs: Salão de Ideias com o autor Pedro Bandeira, no Theatro Pedro II.

17/06, às 17hrs: Salão de Ideias sobre ilustração com Alexandre Camanho, no Palace.

17/06, às 18:30hrs: O autor como leitor, com Mamede Jarouche e Marcelino Freire, no Theatro Pedro II.

17/06, às 20hrs: Poesia de guardanapo, com Pedro Gabriel, no SESC.

17/06, às 21hrs: Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, no Theatro Pedro II.

19/06, às 10:30hrs: Juventude tem concerto, com Orquestra Sinfônica de Ribeirão, no Theatro Pedro II.

19/06, às 18hrs: Quinteto da Bachiana SESI-SP, com a cantora lírica Giovanna Maira, no Theatro Pedro II.

Esses são meus destaques principais, mas a Feira tem muito mais na programação. Sugiro acompanhar o facebook deles e dar uma olhadinha na programação que está na íntegra online. Lembrando que todos os eventos são gratuitos!

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

TODO MUNDO É ESCRITOR

Depois de algum tempo apenas assistindo, resolvi trazer meus comentários em forma de textão. De repente todo mundo é escritor, não é mesmo?

Todas as editoras estão achando bacana publicar um livro de subcelebridades. A moda do momento são os youtubers. Gente engraçadinha, biografia adolescente (oi?), donos de canais que bombaram, tem para todos os gostos.

E daí, qual o problema, Gabriela?

Nenhum. Cada um publica o que quer, vende o que quer e lê o que quer.

O ponto é que estou aqui assistindo e achando tudo isso muito engraçado. Muito mesmo.

Quando os primeiros livros saíram, foi a maior febre, todo mundo menos eu a hater AMOU. E ai aconteceu o óbvio: descobriram que ninguém escreveu absolutamente nada. De repente a internet descobriu a existência dos ghost writers, como se eles tivessem saído da deep web nesse instante. Pois é, sinto muito dizer, mas existem pessoas escrevendo e colocando o nome de outras. E nem é trabalho de colégio e faculdade.

Agora tá todo mundo metendo o pau. Achando absurdo, falta de respeito, palhaçada, enganação. Só porque ‘descobriram’ que alguém não foi capaz de escrever um livro em um mês.

Eu assisto isso sem saber se é para rir ou chorar.

Escrever é uma questão de treino, de leitura, de técnica, de persistência e principalmente de estudo.

Aff, Gabriela, e quem é você para falar alguma coisa?

Ninguém, de fato. Minha profissão é escrever, e ainda assim, em cinco anos de estudo, de mestrado, de doutorado, dos meus projetos de escrita fantástica, de blog, eu acho que não sei nada. Tenho muitos problemas, falhas e inseguranças e até hoje morro de medo de apresentar algo meu aos outros. É óbvio que isso possa significar apenas que eu sou ruim no que faço, é uma possibilidade, talento também é necessário. E é claro que eu não sirvo de exemplo para ninguém, mas estou apenas trazendo um ponto.

A caminhada é árdua e não, não existem escritores em um mês.

Repare bem: por que nós ainda não lemos o sexto livro de ‘As crônicas de gelo e fogo’? Ah, porque George Martin está escrevendo ele há CINCO ANOS. CINCO ANOS. E vale lembrar que o primeiro é de 1996, ou seja, a série está sendo escrita há vinte anos.

Deu para entender?

J.K. Rowling demorou dez anos para escrever todos os ‘Harry Potter’. E por ai vai…

Claro que tempo não é fator determinante, mas escrever um livro em poucos meses? Não força, parça.

Não acho que essa ‘literatura’ abre portas para outras. Não acho que é um princípio. Não acho que devemos valorizar para que quem compre se sinta incentivado a comprar mais.

Esse tipo de livro não é para quem gosta de ler e não é para transformar quem não gosta em leitor. É para dar dinheiro. E só.

Respeito mais quem lê saga ‘Crepúsculo’ e ‘Cinquenta tons de cinza’. Pelo menos a pessoa procurou por uma história, seja ela qual for, não por uma pessoa, uma foto na capa, e um ‘causo’ da vida.

Para isso existem revistas. As pessoas estão confundindo as mídias.

Pode parecer meio amargo da minha parte e até, para aqueles que adoram, ~recalque. Mas não, é só tristeza de ver como as coisas estão cada vez mais jogadas, mal feitas (na cara dura!) e todo mundo só engolindo tudo.

Fecho com o vídeo desse senhor:

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

RESENHA: O ASSASSINATO DE ROGER ACKROYD (AGATHA CHRISTIE)

Olá, pessoal!

Na resenha dessa semana falei sobre um dos meus gêneros favoritos: Romance policial! O livro é um clássico e o primeiro best seller da rainha do crime!

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

FALA, BIBLIOTECÁRIA!

Oi, pessoal!

Nos últimos vídeos da tag ‘Fala, Bibliotecária!’ eu resolvi sair um pouco da Biblioteconomia em si e trouxe alguns temas utilitários. No primeiro vídeo, falei um pouco sobre a organização de um artigo científico e dei dicas bem legais para quem está começando o TCC. No segundo falei sobre as diferenças básicas entre cursos de pós graduação e quem serve para o que.

Espero que ajude!

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

RESENHA: ANDROIDES SONHAM COM OVELHAS ELÉTRICAS?

Esse é mais um dos casos em que eu vi o filme antes de ler o livro e… me apaixonei!

No vídeo falo um pouco sobre os dois!

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

BATALHA DE DISTOPIAS

Para fechar minha saga ‘lendo a trilogia de distopias clássicas’, fiz um vídeo comentando todas elas e comparando com uma mais moderninha, ‘Jogos Vorazes’. Para facilitar vou deixar todas as resenhas e o vídeo de comentários por aqui!

#oultimojuro

:)

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo

GAME OF TROXAS

Eu não gosto de me envolver com política. Não porque eu seja uma alienada, tonta, despolitizada, mas sim porque eu creio que não tenho conhecimento suficiente para dar bons argumentos ou acrescentar algo para alguém. Então prefiro me manter calada.

Gostaria que mais gente pensasse assim.

Apesar de achar que não tenho conhecimento suficiente, eu creio que estudei história o suficiente e sou uma pessoa razoável o suficiente, outras coisas que não estamos vendo por aí.

Meu ponto é: estou assustada com esse circo.

As pessoas estão defendendo lados sem argumentos. Baseados em ofensas e acusações, e creio que esse não é um bom método de discussão. Ando vendo muito revoltadinho de facebook se achando muito justiceiro e defensor da verdade absoluta e só usando seu teclado para falar asneira e xingamentos. É patético.

Sabe por que é patético?

Tudo isso não passa de um jogo de poder. Só o pessoal daqui ‘de baixo’ está escolhendo lados. Lá ‘em cima’ eles estão escolhendo vantagens. Entende?

Creio que esse é um ótimo momento para as pessoas lerem as distopias clássicas de que tenho falado tanto por aqui. Elas podem mostrar um pouco melhor o que estamos vivendo. ‘Ignorância é força’.

Um pequeno grupo no poder e brigando para aumentar seu poder (dinheiro também é poder). Um grande grupo, sem saber o que acontece no pequeno grupo, recebe informações distorcidas e acredita que deve defender fervorosamente X ou Y. Não parece muito certo, parece?

Acho que essas leituras podem ajudar as pessoas a perceberem o tamanho do papel de trouxa que estão fazendo. E eu não escolho lados, ok? É para todos mesmo.

E a solução?

A solução é um voto consciente, é pesquisar a vida de seu candidato antes de votar, é protestar sim, mas sabendo sobre o que você está falando, é se informar. Não adianta sair por aí como uma manada doida sem saber o que está fazendo.

#oultimojuro

🙂

FacebookInstagramTwitterYoutubeSkoobGoodreads – Snapchat: gabriela.bzp

Conheça meus contos:

O véuA Biblioteca do Mediterrâneo